SEMANA SANTA

Poema para Nossa Senhora

Nesta Semana Santa, um poema para Nossa Senhora no momento de dor

Nossa Senhora Pietá

Pietá
Dois mil anos atrás,
Sentada sobre o chão frio,
Uma mulher chora.
Em seus braços está um corpo sem vida.

Seu filho já não respira,
O coração já não bate,
Já não tem sonhos,
Não tem medos,
Não tem mais nada.

Ontem de manhã,
Sentada sobre o chão frio
De uma rua de outra cidade,
Outra mulher contempla o passado que se perdeu
E o futuro que lhe foi negado.
Seu filho está morto também em seus braços.

Em seu olhar firma-se um abismo
De revolta, incompreensão,
Impotência.
Que consolo, que esperança?
Que palavra pode-lhe ser dita?

O sofrimento destas mulheres está além das palavras,
Onde nada mais tem ou pode dar sentido a sua dor.
Diante do seu olhar apenas nos calamos.
Silenciamos pelo que não compreendemos,
Pelo que somos incapazes de suportar.

Esse silêncio rompe o tempo,
Transcende o espaço.
Na figura de duas mulheres,
Com filhos mortos em seus braços,
Mora o mistério da própria humanidade.


Augusto Cezar

Músico da banda DOM, compositor, escritor de 3 livros, professor e palestrante. Não sou nada do que realizei. Fui e sou tudo o que amei e amo. Além disso, não sou mais nada. www.augustocezarcornelius.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Este conteúdo foi plublicado na(s) categoria(s) Formação.
↑ topo