A importância do autoconhecimento na vida do músico

Se você não tiver autoconhecimento, dificilmente você estabelecerá relações profundas

Que tipo de ministro de música você é? Você acha que está perdido? Saiba que não são os anos de estrada que valem muita coisa, pois o que importa é chegar até fim, mais do que começar é preciso continuar até o fim.

Saiba a importância do autoconhecimento

Nós músicos somos sensíveis, até mesmo as fibras de nossa alma são sensíveis. E percebemos que, em diversas situações de nosso dia a dia, sobretudo para os compositores, nossa sensibilidade nos ajuda a desempenhar esse dom. Nós trazemos dentro de nós essa responsabilidade que é um dom, mas que, muitas vezes, se torna um peso por sermos tão sensíveis e nos faz facilmente reféns dela.

Quando somos ministros de música de fato, o bem que fazemos perdura mesmo depois de nossa morte. Jesus era sensível, altruísta, e sabia externar isso. Em Sua sensibilidade, movido pela compaixão, Cristo olhou ao redor e viu que aquele povo estava faminto (cf. Mc 6, 35-44). Sejamos como Jesus! Não guardemos nosso dom para nós mesmos, vamos externá-lo e dividi-lo com o próximo. Contudo, tomemos cuidado com nossa sensibilidade, pois nem sempre podemos seguir aquilo que é ditado por nosso coração.

Leia mais:
:: Vida de santidade para o músico
:: Padre Fábio de Melo fala sobre a inveja e a vaidade

Quantas vezes, nosso coração já nos enganou? Quantas vezes, por seguirmos o impulso do nosso coração, acabamos nos perdendo?! É preciso saber que todo tipo de compulsão nos faz mal, precisamos aprender a educar o nosso coração, porque sabemos que tudo isso é dom de Deus, presente d’Ele.

Onde está a sua felicidade, músico? Muitas vezes, você já disse: “Quando meu ministério gravar um CD esse será um sinal de que ele deu certo”. Esse pensamento está errado, não amarre a sua felicidade naquilo que externo. Aquilo que é externo, muitas vezes, nos traz a solidão, é como se você exclamasse por uma ajuda, por uma presença.

A única Pessoa que pode saciar a sua sede, artista, a sua sensibilidade e o seu coração é Jesus Cristo, e Ele está no meio de nós e é no dia a dia que vamos aprender com Ele. Que tipo de ministro é você? Quem você pensa que é? (no bom sentido da palavra). Que tipo de cristão você é?

Se você não se conhecer, dificilmente você estabelecerá relações profundas. Pessoas que não se conhecem não se abrem para conhecer o outro.

Meu coração é para ti, Senhor […]”. Quantas e quantas vezes cantamos essa música na Santa Missa, você prestou atenção naquilo que cantou? Você está ofertando sua vida [ao cantá-la], mas como você pode ofertar aquilo que não conhece? Somente ao encontrarmos Jesus é que nós conheceremos a nós mesmos.

Quando nós nos conhecemos, muitas vezes, nos assustamos e descobrimos coisas em nós que não queríamos, por isso precisamos buscar estes três princípios: conhecer-se, aceitar-se e superar-se. O que você faz com os seus sofrimentos? Como você lida com os seus piores pecados?

Quem não sofre não vive, quem não vive não cresce. Certos dons só florescerão quando você souber lidar com eles.

Que ministro de música você quer ser?

Busque a humildade, mas saiba que ela está ligada à humilhação, e aquele que aceita a humilhação é consciente do seu chamado. Você tem a consciência de que sua missão salva vidas? Saiba que o chamado de Deus é irreversível. Não tenha medo de assumir a missão que Deus lhe deu. Busque auxílio do Espírito Santo, Ele nos move. E se abandone na vontade de Deus, dê garra ao seu ministério. Precisamos do Espírito para termos garra em nosso ministério. Lá onde somos fracos, o Espírito é força; e onde há dor, Ele é alívio.


Padre Delton Filho

Padre Delton Filho é sacerdote, compositor, escritor e fundador da Comunidade Coração Fiel (Goiás)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Este conteúdo foi plublicado na(s) categoria(s) Formação.
↑ topo