O AMOR NÃO SUBTRAI

Deus dá até quando tira!

Deus é amor, e o amor não subtrai, não diminui. Amor eleva, transcende

Você já sentiu que está faltando um pedaço seu para ser feliz? Já se sentiu incompleto, imperfeito ou tendo algo a menos que o impedia de ser feliz completamente? Eu já. E esta é a minha história, que eu contei no meu livro “Dentro de mim mora uma canção”. Talvez seja um pouco da sua história também. Tenho a certeza de que, no fim deste texto, você vai descobrir que não lhe falta tanto assim.

Eu nasci faltando um pedaço. Nasci sem um fêmur. Nasci assim em uma época em que não havia Google, para que minha família pudesse perguntar: “Por quê? Como? E agora?”. Minha família ficou perplexa. “Plexo” quer dizer dobras. Quando uma coisa é simples (simplex) é lisa, sem dobras, uma superfície equilibrada. Algo complexo (por exemplo, eu e minha barriga… rsrs) é algo com dobras, com questões variadas. Quando estamos perplexos (per=entre e plexo=dobras) estamos presos entre as dobras da vida, sem conseguir nos mover. Em um primeiro momento, minha família ficou perplexa; logo depois, tratou de seguir adiante, fazendo o possível e deixando o impossível nas mãos de Deus. Mesmo assim, eu cresci me sentindo incompleto, fosse na escolha do time de futebol, na disputa com o garoto mais popular da escola pela menina que eu estava apaixonado, na limitação que eu tinha que constantemente ultrapassar.

Augusto Cezar
Foto: Arquivo pessoal

Veio, então, a adolescência e meus pais se separaram. Novamente, a sensação de que eu não estava inteiro alcançou meu universo familiar. A família estava dividida. Meu pai morava no Rio Grande do Sul; eu, minha mãe e irmã viemos para o Rio de Janeiro.
Assim, nossa vida seguiu; e parecia que ia ser para sempre assim. Problema sem solução.

Até que eu conheci uma menina. Uma jovem que fazia medicina e frequentava a Missa na mesma paróquia que eu. Começamos a namorar e, em nossas conversas, abri meu coração. Ela falou de um jeito muito tranquilo e sábio, apesar de ser 10 anos mais nova que eu:

— Mas e se for ao contrário? E se aquilo que você pensa que Deus lhe tirou, privou-o ou roubou de você for exatamente o que Ele lhe deu a mais? Você seria a mesma pessoa se não nascesse como nasceu? Se não enfrentasse os desafios que apareceram a sua frente? Teria essa percepção da vida, esse amor pela arte, essa fé apaixonada?

Depois disso, tudo mudou. Eu comecei a perceber que todo sofrimento esconde dentro de si uma bênção, e que Deus dá sempre até quando tira, porque Ele é amor, e o amor não subtrai, não diminui. Amor eleva. Amor transcende.

Cristo é a alma da nossa alma, a vida da nossa vida. N’Ele existimos, somos e nos movemos, como diz São Paulo. N’Ele somos perfeitos para amar. Perfeitos no amor, porque quem ama conhece a perfeição, quem ama já não teme, quem ama experimenta, aqui e agora, um pouquinho do Reino de Deus.


Augusto Cezar

Músico da banda DOM, compositor, escritor de 3 livros, professor e palestrante. Não sou nada do que realizei. Fui e sou tudo o que amei e amo. Além disso, não sou mais nada. www.augustocezarcornelius.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Este conteúdo foi plublicado na(s) categoria(s) Formação.
↑ topo