Saiba

Música como forma de contemplação

O nosso ministério de música tem a missão de levar os filhos de Deus ao encontro com Ele para que façam uma experiência pessoal com Seu amor e com Sua Pessoa. Sim, com Sua Pessoa, porque a Santíssima Trindade é formada por três Pessoas em um só Deus, e cada uma tem um papel particular. Somos chamados a ter intimidade com o Pai, o Filho e o Espírito Santo e a levar nossos irmãos a essa intimidade. Deus não é uma energia ou uma força. Deus é nosso Pai, nosso Salvador e nosso Santificador.

Uma das maneiras de crescermos espiritualmente e de adquirirmos intimidade com o Senhor se dá pela oração, a qual possui três expressões principais, segundo lemos no número 2.699 do Catecismo da Igreja Católica: “[…] a tradição cristã conservou três expressões principais da vida de oração: a oração vocal, a meditação e a contemplação”.

E o que é a oração de contemplação? Vamos mais uma vez à fonte segura do Catecismo da Igreja Católica, a fim de descobrirmos mais e mais a riqueza da nossa doutrina, no qual está escrito no número 2.713 que a contemplação é a expressão mais simples do mistério da oração. É um dom, uma graça; só pode ser acolhida na humildade e na pobreza. É uma relação de aliança estabelecida por Deus no fundo do nosso ser (10). A contemplação é comunhão: nela, a Santíssima Trindade conforma o homem, imagem de Deus, «à sua semelhança».

Musica como forma de contemplacao

“Somos chamados a ter intimidade com o Pai, o Filho e o Espírito Santo e a levar nossos irmãos a essa intimidade”. Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Portanto, se a oração de contemplação é um dom, uma graça, e nos conforma à imagem e semelhança com a Trindade Santa, para nossa música levar os irmãos ao acolhimento deste dom, ela precisa ser fruto da graça de Deus em nós. Precisa ser mais do que uma canção bonita, bem arranjada ou bem cantada. Precisa ir além do sentimento ou das emoções. Precisa sair do Coração de Deus e ter a força transformadora do Espírito Santo.

E como compor ou executar uma música assim? Não há outra forma, senão, sendo possuídos pelo Espírito Santo de Deus, de modo a transbordarmos nos acordes e na melodia a nossa relação de intimidade com Ele. E isso não se improvisa, não se consegue da noite para o dia, mas se adquire por graça de Deus e esforço, aliado à disciplina diária.

Um ministro de música que não quer transformar, ou melhor, que não quer empobrecer seu ministério de música, transformando-o em um entretenimento, deve zelar por tudo isso e buscar a sua vida de oração e intimidade com Deus.

Da mesma forma que somos disciplinados ao ensaiar, ao aprender novas músicas e ao estudar a técnica de nossos instrumentos, precisamos despertar e nos decidir pela vida de oração e consequente intimidade com Deus.

Estamos na Quaresma. Em vez de prometer não comer chocolate ou não tomar refrigerante por 40 dias, prometa ao Senhor – e peça a graça d’Ele para conseguir viver isso – ser fiel, a cada dia, em estar a sós com Ele durante todo o período quaresmal. E no fim deste tempo, não somente você vai ressuscitar, como também vai levar muitos irmãos que esperam e dependem do seu ministério à vida nova no Ressuscitado.

Veja mais em http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p4s1cap3_2697-2758_po.html

Grande abraço!


Luiz Carvalho

Ministro de música e fundador da Comunidade Recado

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

Este conteúdo foi plublicado na(s) categoria(s) Formação.
↑ topo