FICA A DICA

O que um coordenador de ministério de música não deve fazer?

Dicas do que não fazer ao ser um coordenador de ministério de música

Sim, eu posso escrever este texto, pelo simples fato de que fui o pior coordenador que já vi em todos os grupos em que estive. Às vezes, assumimos funções para as quais não somos naturalmente talhados ou preparados; e aí, “bang!”. Passamos a viver uma montanha-russa de problemas e dificuldades, que vão desde os aspectos mais específicos até os mais pessoais e subjetivos. Aqui vão dicas do que não fazer (ditas por quem descobriu na prática):

1 – Não confunda coordenação com liderança

Nem todo coordenador é um líder; nem todo líder, coordena. Tais coisas dependem de muitos aspectos. Então, se você está na função de coordenar, faça isso! Mas não chame para si a responsabilidade, com o ônus e bônus, de ser o líder. Aliás, um bom coordenador reconhece as lideranças de sua equipe e as estimula, para que possam contribuir sempre e cada vez mais com o grupo.

 

2 – Planeje

É o que se espera do coordenador. É como um músico que espera a ação eficaz e rápida de um produtor musical (na hora da gravação) e de um gerente de turnê (na hora do show). Planejar dará tranquilidade para o grupo, e um grupo tranquilo produz melhor.

3 – Seja objetivo

Sabe aqueles áudios de WhatsApp em que, com 20 segundos, você já entendeu o problema a ser resolvido, mas acompanha sofridamente a barra de tempo rolar por mais 2 ou 3 minutos de pura repetição e prolixidade? Isso acaba com a motivação e energia realizadora de qualquer um. Além da paciência, seja objetivo. Pense antes de dizer ou escrever. Seja claro, amoroso e verdadeiro.

Leia mais

:: Por que estudar música ::
:: Evangelizando uns aos outros ::
:: Obediência e música ::

4 – Seja verdadeiro

Sabe o ditado “mentira tem perna curta”; eu posso dizer que o conheço melhor do que qualquer um. Na maioria das vezes, sabemos quando o outro está mentindo ou omitindo algo. Se quer convencer, seja verdadeiro, mesmo que isso cause alguma contrariedade. A verdade dá segurança nas relações.

5 – Não diga “eu te disse” ou “comigo foi pior” ou “ah, eu já sabia…”

Nenhuma dessas frases desperta motivação. Se alguém trouxe alguma contribuição que não é nova para você, pense bem: a vida lhe trouxe, de novo, essa questão para analisar. Como posso encará-la diferente e mais eficiente? Não seja presunçoso. Um coordenador presunçoso, em geral, é incompetente.

6 – Não crie objetivos que não podem ser alcançados ou que o grupo não deseja alcançar.

São coisas diferentes. A primeira proposta é estabelecer metas que possam ser mensuradas e que sejam compatíveis com as habilidades e possibilidades do grupo. A segunda proposta é não estabelecer metas que desinteressam aos outros. Você vai acabar sozinho no barco. É importante mostrar os argumentos, pois, muitas vezes, o grupo não percebe a importância de algo. A função do coordenador é demonstrar isso. No entanto, não confunda esse esforço com certa onipotência gerencial, que exclui ou desqualifica a identidade e ambição de um grupo.

7 – Não seja centralizador

Seja generoso! Aprendi isso com minha mulher. Ela consegue qualquer coisa de mim pelo simples fato de que é muito generosa, a pessoa mais generosa que conheço! Sinto-me naturalmente motivado a retribuir e responder toda dedicação dela. Seja generoso!


Augusto Cezar

Músico da banda DOM, compositor, escritor de 3 livros, professor e palestrante. Não sou nada do que realizei. Fui e sou tudo o que amei e amo. Além disso, não sou mais nada. www.augustocezarcornelius.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.