Sete dicas para melhorar o ensaio musical

Conheça 7 dicas para melhorar o seu ensaio musical!

A vida de qualquer músico católico, que se dedica ao serviço na liturgia, requer muitas coisas: disponibilidade, vida de oração, ascese, aprofundamento na doutrina, intenção reta, etc. Todo ministério de música para servir bem e de forma eficiente na liturgia, além do conhecimento da própria liturgia (por meio dos documentos que a própria Igreja dá como orientação), precisa transformar o tempo de ensaio em algo produtivo. Como alcançar essa produtividade no ensaio? Aqui vão algumas dicas:

Sete dicas para melhorar o ensaio musical

Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

1-Manter a rotina

A regularidade com que se ensaia é fundamental para o aprimoramento das qualidades musicais. Deo Optimo Maximo – para Deus o máximo, o melhor. Queremos fazer música de forma bela e assim expressar Aquele que é fonte de toda beleza. Para isso, precisamos da constância neste esforço. A rotina também gera um compromisso e insere no nosso cotidiano a nossa função ministerial. Melhora nosso senso de responsabilidade com a Igreja e nosso ambiente paroquial.

2-Definir o tempo de ensaio previamente

Não deixe rolar simplesmente. Se proponha um tempo ideal de ensaio e utilize-o de forma a ser eficiente no aprimoramento do desempenho do grupo. Novamente, o senso de responsabilidade precisa ser desenvolvido e ajudará muito no amadurecimento do grupo.

3-Preparar as partes individuais antes do ensaio  – escrever harmonias e fórmulas do arranjo

Organize-se. Prepare as harmonias e arranjos com antecedência. Assim, você estará seguro de que todos sabem o que e como devem tocar. Escreva! Isto torna ainda mais clara a informação, eliminando imprevistos.

4-Objetividade

Saiba o que, como, onde, quando e o porquê daquilo que se está ensaiando. Esse é o segredo do foco, pois sessa maneira, você, também, mantém todo o grupo motivado porque não há perda de tempo e dedicação. Ajuda muito ter um “roteiro de ensaio”. Com isso, você também impede que aquele integrante fique “viajando” tocando uma música que não será ensaiada ou mesmo mostrando aos outros integrantes os solos que aprendeu esta semana, os timbres do seu novo instrumento, etc.

5-Definir as partes mais difíceis a serem resolvidas

Comece pelo mais difícil. Sim, o conselho das nossas mães funciona num ensaio musical. Todo ensaio tem picos de concentração e dispersão. Não deixe para resolver problemas técnicos musicais quando o grupo já está muito cansado e com baixa energia de concentração.

6-Mantenha o volume equilibrado

Todos precisam se ouvir. Mas é igualmente (senão mais importante ainda) ouvir-nos uns aos outros. É desta forma que se melhora a interpretação e dinâmica de um grupo. Ouvir o outro desenvolve nossa percepção musical e constrói unidade artística no que se está tocando.

7-Ensaiar o mais próximo ou semelhante do local onde toca na Missa

Não adianta ensaiar em um estúdio fantástico com excelentes condições técnicas e acústicas, se na Missa, você dispõe de muitas limitações. Ensaiar é para melhorar, resolver problemas. Tenha sempre em mente isso. Artistas profissionais quando montam o show das suas turnês, costumam simular os muitos e diferentes locais aonde irão se apresentar. Você tem sorte! Aproveite!

Essas são sete dicas que, se observadas, poderão tornar seu ensaio mais eficiente. “Mas, e a unção?”, alguém pode me interrogar. Nos lembremos da frase do santo: “Reze como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de você”. Não nos descuidemos de nenhum aspecto. Afinal, eles se relacionam profundamente. Como diz Santo Agostinho: “Reza-se como se vive e vive-se como se reza”. Sejamos, também, zelosos da nossa eficiência no fazer musical.


Augusto Cezar

Músico da banda DOM, compositor, escritor de 3 livros, professor e palestrante. Não sou nada do que realizei. Fui e sou tudo o que amei e amo. Além disso, não sou mais nada. www.augustocezarcornelius.com.br

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.